quinta-feira, 17 de novembro de 2011

O "FICAR" !


CUIDE DE SEU CORAÇÃO: NÃO “FIQUE”!
O “Ficar” é um tipo de relacionamento informal, rápido e principalmente marcado pela falta de compromisso entre um rapaz e uma moça, envolvendo uma pluralidade de desejos, códigos e usos, durante o qual eles trocam carícias e intimidades variadas, podendo, eventualmente, levar ao ato sexual.
Segundo a psicóloga Jaqueline Chaves¹, a princípio, o objetivo do “ficar” é a busca do prazer, um exercício de sedução que envolve duas ideias contidas que o caracterizam: a falta de compromisso e a troca de carícias.
Clark, em seu livro Ficar sim ou não cita a expressão de um rapaz de 17 anos quando se refere ao “ficar”:
“curtir um momento sem ter compromisso futuro”.
“curtir alguém por uma noite, sem compromisso sério”.
O “ficar” não é encarado como uma espécie de pré-namoro e nem mesmo um namorico, é exatamente o contrário, é um antinamoro, pois ele descaracteriza o namoro!
Mesmo quando pares repetem “o ficar” com a mesma pessoa, não se definem como namorados, mas como “ficantes”, continuando a ideia de descompromisso. Quando os “ficantes” passam a ter vínculo emocional, geralmente passam para o namoro ou namorante, alguns casais se utilizam de uma espécie de anel de compromisso, diferente das alianças convencionais, o anel de compromisso não é uma ideia de amor eterno, mas um recurso para marcar a existência de um vínculo mais forte em meio a tantas relações efêmeras, também serve para destacar para os outros que aquele(a) adolescente ou jovem não está disponível.
“Tô pegando, tô ficando, tô beijando...”
Numa reportagem da revista Veja, edição 2100, ano 42, nº7, de 18/02/09, pg. 88, relata uma pesquisa feita com adolescentes de 13 a 19 anos, nesse relato, 75% dos entrevistados já ficaram. Segundo a reportagem, as relações entre eles se classificam basicamente em três modos:
- Quando não há vínculo emocional, e nem compromisso formal, mas só uma “curtição”, os adolescentes resumem seus relacionamentos em: “tô pegando, tô ficando, tô beijando...”;
- Quando não existe compromisso formal, mas passa ter envolvimento emocional, chama-se o(a) companheiro(a) de: “ficante”;
- Quando o relacionamento passa a ser sério e formal, o denominam de namoro, um tipo caso mais sério.
Apesar da onda do “ficar”, na mesma pesquisa da revista citada, 78% dos entrevistados valorizam a fidelidade e 58% deles querem um relacionamento estável.  
Quando nos referimos ao “ficar” em relação ao adolescente cristão, que preza por um compromisso e relacionamento com Deus e valoriza seus sentimentos, essa prática não faz parte de sua vida ou hábitos, exatamente porque aquele que conhece a Deus, não  busca satisfação pessoal egoísta, e principalmente não prioriza o aspecto físico numa relação (ver quadro abaixo), mas leva em conta um conjunto de fatores, dentre eles o principal: a vontade de Deus para sua vida, baseando-se nos princípios da Palavra de Deus, não se conformando ou se amoldando com o padrão desse mundo, mas transformando-se pela renovação do entendimento para experimentar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus (Romanos 12:2). Suas atitudes e escolhas não são alienadas, mas racionais, mesmo sendo um(a) adolescente.
Quadro das prioridades nos relacionamentos

Acredite, conheço muitos adolescentes que levam a sério seu compromisso com Deus e esperam no Senhor, infelizmente sabemos que há outros que ainda não se despertaram para o interesse e valor de Deus para suas vidas e futuros, por isso a importância de falarmos com frequência, sem receios e bem abertamente sobre esse assunto nas igrejas.
O Pr. Wanderley Rangel² em seu artigo  “Ficar” faz as seguintes notas:
A pergunta é:

O QUE A PALAVRA DE DEUS DIZ SOBRE O FICAR?

Sim, ela tem algo a dizer em I Ts 4: 1-8.

1 – “FICAR” é imoralidade sexual, vai contra a vontade de Deus que é a santidade sexual. Trocas afetivas eróticas (beijos e carícias) é bênção entre um casal comprometidos no casamento, v. 3.

2 – “FICAR” é descontrole sexual, vai contra a vontade de Deus que é cada um sabendo controlar o seu próprio corpo. Desculpas como “há uma química entre nós”, “pintou o clima”, “são meus impulsos”, “não tenho culpa, é normal”, caem por terra, v. 4

3 – “FICAR” é padrão sexual dos incrédulos, daqueles que desconhecem o Senhor e a Sua Palavra. Padrão caracterizado pelo imediatismo, descompromisso e hedonismo (só o prazer interessa), v. 5.

4 – “FICAR” é prejudicar o próximo, é despertar no outro desejos sexuais que abençoadamente só pode ser exercitado no casamento, é invadir um espaço que não lhe pertence, v. 6

5 – “FICAR” é a semente da frustração, decepção, desvalorização e vulgarização sexual. A lei da semeadura e colheita cabe para esta situação. Deus adverte aos ficantes, v. 6.  

6 – “FICAR” é rejeitar a Vontade de Deus, é rejeitar a Palavra de Deus, é entristecer o Santo Espírito de Deus que habita em cada um de nós, v.7-8.

Portanto, você adolescente que leva Deus a sério, ficar é um comportamento que fere os planos de Deus para a sua sexualidade. Adolescente que é adolescente do Senhor não é ficante, mas CASANTE, tem projeto para casar, e enquanto isto não acontece ele se resguarda em respeito a si e ao próximo.

Consultas:

¹ Jaqueline Chaves, Ficar com – um novo código entre jovens, p.33, RJ: Revan, 1994.
Mauro Clark, Ficar sim ou não. SP: Candeia, 2001.
² Pr. e psicólogo Wanderley Rangel. Artigo: “ FICAR”. Site: http://www.pavi.psc.br/




Nenhum comentário:

Postar um comentário